Você tem dúvidas sobre eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro?

18/03/2021
Publicado por Matheus Ferrareze

A eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro (EMS) é a tecnologia para condicionamento físico que trabalha o corpo para mantê-lo saudável, ocupando o mínimo tempo para um resultado máximo. O equipamento utilizado na EMS, fabricado pela alemã miha, é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). 

Matheus Ferrareze, sócio fundador da Perforce, é doutor em Ciências do Movimento Humano pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e consultor técnico da miha no Brasil. 

É ele que vai responder as dúvidas  mais comuns sobre o assunto.

1 – A eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro trabalha exatamente 300 músculos?

Não. 

Não é que a tecnologia não tenha potencial de estimular 300 músculos ao mesmo tempo. A questão é que, hoje, não existem estudos que comprovem esse número sendo ativado de forma simultânea. 

O corpo humano adulto tem de 16 a 20 mil centímetros quadrados de superfície. Na EMS, utilizamos de oito a 10 pares de grandes eletrodos posicionados nos maiores e principais grupamentos musculares, o que totaliza 2.800 centímetros quadrados de superfície de eletrodo. Isso nos permite dizer que posicionamos eletrodos entre 15 e 18% da superfície total do corpo, o que garante uma grande área muscular sendo estimulada simultaneamente, proporcionando excelentes resultados em pouco tempo de treino e em pouca frequência semanal. 

2 – Um treino de EMS pode substituir os exercícios convencionais?

Sim.

A eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro é uma tecnologia de ativação muscular que, liberando estímulos elétricos de baixa intensidade, recria o movimento natural do sistema nervoso central do nosso corpo. Essa ativação estimula músculos do corpo inteiro, promovendo diferentes resultados, semelhantes aos obtidos em uma academia convencional. Podemos ajustar o equipamento e programar treinos para os mais variados objetivos, como por exemplo, o emagrecimento e tônus muscular, o ganho de força e hipertrofia, além da melhora de aspectos gerais de saúde e condicionamento físico.

3 – Um treino de EMS pode queimar 500 kcal?

Sim.

Em um estudo do professor Kemmler e seu grupo (2012), foi verificado um consumo de 412 kcal.h (*) em um programa com exercícios simples e movimentos lentos associados à eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro durante 16 minutos. O equivalente a 20% a mais do que o grupo que realizou os mesmos exercícios sem a utilização da tecnologia. Portanto, sabendo que a quantidade de calorias gastas durante um treino dependerá de uma série de variáveis como, por exemplo, o tipo de exercício, a intensidade realizada, além de características individuais do sujeito, como o sexo e o seu peso corporal, é possível verificar gastos calóricos inclusive maiores do que 500 kcal em treinos que utilizem a tecnologia de eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro.

(*) Kemmler, W.; Stengel, S.V.; Schwarz, J.; Mayhew, J. L. The Journal of Strength and Conditioning Research, 2012.

4 – Qualquer pessoa pode fazer um treino com eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro?

Não são todas as pessoas que podem fazer um treino com eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro. Mas ele é o ideal pra muita gente.

A tecnologia oferece uma série de variáveis que conseguimos ajustar para que se adapte o treino da melhor forma possível, de acordo com diferentes objetivos e características do nosso aluno/cliente.  Porém, em duas circunstâncias existe contraindicação absoluta – gestantes e usuários de marca-passo cardíaco.

Todas as outras situações, seja idade avançada ou alguma recomendação médica, são possíveis de aplicação da tecnologia EMS. O importante é que você trate direto com seu instrutor para que ele entenda o seu caso e programe as características da corrente elétrica e do treino da forma mais adequada e para seja o mais eficiente possível.

5 – Os treinos com eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro são sem estresse articular? 

Não! 

Qualquer movimento realizado gera algum nível de estresse articular, porém, a grande vantagem dos treinos com eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro é o fato de ser possível gerar contrações musculares de alta intensidade com pouco ou nenhum movimento e sem a utilização de outras cargas externas! 

Dessa forma, mesmo os treinos com alta intensidade oferecem uma baixa sobrecarga para as articulações, tornando-se uma ótima opção para aqueles que possuem alguma limitação ou lesão. 

6 – É possível obter resultados treinando só uma vez por semana com a eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro?

Sim. Para a gente ter qualquer tipo de resultado, independentemente do treinamento que fizer, depende da carga de treino oferecida para o corpo e também do tempo de intervalo, se esse é suficiente para que consiga recuperar o estresse provocado no corpo e ainda gerar uma adaptação positiva. 

Utilizamos uma série de marcadores que avaliam o nível de dano muscular e de estresse físico do corpo. Observa-se que, quando se faz um treino de EMS, o tempo de dano muscular é prolongado, automaticamente é necessário um intervalo maior entre os treinos. Com isso, temos a certeza e a justificativa de que o treino de uma vez por semana é suficiente para gerar uma adaptação positiva e resultados muitos interessantes.

7 – O aluno leva choque elétrico durante o treino?

Não!

A tecnologia EMS utiliza estímulos elétricos de baixa frequência que recriam o movimento natural do sistema nervoso central, gerando contração muscular. Também possui diversos ajustes que podem ser adaptados para as necessidades e os objetivos de cada pessoa!

O aluno usa um colete funcional com eletrodos de alta tecnologia. O traje fica conectado a uma unidade de controle que, junto com os exercícios, é a responsável por conduzir os impulsos elétricos aos músculos, portanto o “treino com choquinhos” é só um apelido carinhoso. 

Depois de todo esse esclarecimento sobre a eletroestimulação neuromuscular de corpo inteiro, só falta você conhecer de perto essa tecnologia.
Na Perforce, trabalhamos com transparência, procurando sempre informar claramente como funciona a tecnologia de EMS.

Matheus Ferrareze

Matheus Ferrareze

O Matheus é cofundador e diretor técnico da Perforce! Mestre em Ciências do Movimento Humano e doutor em Eletroestimulação Neuromuscular de Corpo Inteiro pela UFRGS, ele conta com mais de 7 anos de experiência na Eletroestimulação. Além disso, é consultor técnico da miha Brasil e o responsável por formar mais de 500 profissionais especializados em EMS.